Mônica Bergamo

Mônica Bergamo – jornalista, biografia, vida pessoal, carreira, fatos e curiosidades

Última atualização em 19 de novembro de 2022

Mônica Bergamo nasceu em 23 de março de 1967, na cidade de São Paulo. Conhecida por sua versatilidade, a premiada jornalista aborda entretenimento, política e moda na internet e na rádio. Atualmente, escreve uma coluna na Folha de São Paulo e comanda um programa na BandNews FM.

Sumário

Vida Pessoal

Mônica Bergamo vida pessoal

Nascida em Vila Madalena (SP) na década de 60, a mãe de Mônica cuidava da casa e o seu pai saia para garantir o sustento da família por meio do trabalho na empresa de móveis Bergamo. Infelizmente, a mãe de Mônica morreu em decorrência de um tumor no cérebro quando a paulistana tinha apenas 17 anos de idade.

Em 2005, o pai de Mônica faleceu. Com isso, Mônica contou com o apoio da irmã, Marlene Bergamo, para superar as perdas e prosseguir a sua vida. Em 2001, a jornalista deu a luz à sua filha, Ana Maria.

Carreira

Mônica Bergamo carreira

Formada em Comunicação Social pela Faculdade Cásper Líbero, Bergamo é habilitada em Jornalismo. A comunicadora iniciou a carreira na mídia impressa ao ser contratada pela Editora Abril. Na empresa, ela trabalhou na Revista Playboy, Veja e Veja São Paulo.

Em 1999, a jornalista assumiu uma coluna, que a tornaria reconhecida nacionalmente, na Folha de São Paulo. Na coluna do caderno “Ilustrada”, Bergamo publica informações e entrevistas inéditas sobre entretenimento, celebridades, política e outros assuntos há mais de 20 anos.

Em 1997, Bergamo assinou contrato com a Rede Bandeirantes e tornou-se a diretora de Jornalismo na filial da emissora em Brasília. Em 2012, a comunicadora estreia na frente das câmeras enquanto colunista de política no telejornal Band News TV e passa a apresentar, em parceria com o cientista político Antônio Lavareda, o programa dominical “Ponto a Ponto” voltado para a discussão de assuntos contemporâneos com uma reportagem e entrevista com convidados.

Em 2013, Mônica Bergamo foi premiada com o “Troféu Mulher Imprensa”, organizado pela revista Imprensa em parceria com a Maxpress, na categoria de “Colunista de Jornalismo Impresso”. Na ocasião, a jornalista comemorou a liberdade de expressão em nosso país e citou a liberdade de imprensa como uma conquista no jornalismo brasileiro.

Bergamo cobriu notícias importantes para a sociedade brasileira durante toda a sua carreira e tornou-se reconhecida por muitas destas reportagens. Em 1995, a jornalista cobriu o “Caso Corumbiara” em Rondônia, um conflito entre pessoas sem-terra e policiais militares que resultou na morte de dez sem-terra. Além disso, Mônica entrevistou Maluf, ex-prefeito de São Paulo, no Complexo Penitenciário da Papuda, e também entrevistou Luis Inácio Lula da Silva, ex-presidente do Brasil, na prisão em Curitiba.

Em 2019, a jornalista recebeu o “Prêmio Comunique-se” na categoria “Colunista de Notícias” pelo trabalho na mídia impressa.

Atualmente, a jornalista continua escrevendo uma coluna na Folha e apresenta as notícias recentes, de segunda à sexta pela manhã, na Band News FM.

Fatos e Curiosidades

  • Em 2020, a jornalista foi reconhecida e elogiada por um telespectador no aeroporto de Belo Horizonte;
  • Em 2016, Bergamo foi acusada de parcialidade na cobertura política e chamada de petista, de forma pejorativa, pela jornalista do “O Globo” Maria Lima.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.